22.5.16

Os homens de anticamente... afinal o vintage está na moda!

Quantas vezes já ouviram as vossas avós dizer: no meu tempo não era assim… beijar o namorado só depois do casamento… hoje as raparigas são umas desavergonhadas… entre muitas outras expressões que na verdade querem transmitir que namorar há 60 anos atrás era palavra proibida, que beijar antes do casamento era pecado, que o correto era namorar à janela, com a mãe a ver, claro. Mas será bem assim? Ou o namoro e as relações entre homem e mulher apenas eram tabu para uma sociedade demasiado conservadora?

A minha avó materna apenas namorou com o meu avô e casaram novos. Claro que ele foi o primeiro e único homem que ela teve, mas durante alguns passeios em família, quando passávamos por uma ou outra senhora, a minha avó dizia: antes de casar com o teu avô, ele namorou com a Maria, e antes da Maria foi a Joaquina, e antes da Joaquina foi a Ana. Então mas não era suposto namorar pouco? Pois, fui contando e penso que o meu avô teve umas oito namoradas. Afinal aproveitou bem a vida e namorou muito. 


Quanto ao meu avô paterno, o meu pai tem mais cinco irmãos e quando já era crescida para compreender as coisas explicaram-me que a tia Eduarda não era filha da minha avó, porque o meu avô tinha duas namoradas ao mesmo tempo, e quando soube que uma estava grávida achou justo que a outra também ficasse grávida. Mas ter duas mulheres grávidas ao mesmo tempo, há 60 anos, não me parece muito diferente do que acontece hoje em dia, pois não? Engravidar uma menor, isso sim era grave e dava direito e ter uma caçadeira apontada à cabeça, porque o pai da rapariga desonrada exigia casamento.

Afinal as coisas não mudaram assim tanto, mudam-se os tempos, mas há coisas que ficam eternamente. E espero que tenham gostado do texto, que além de ser ‘engraçado’ também fala de histórias reais da minha família.

Sem comentários:

Enviar um comentário