8.3.17

Dormir num hostel, uma grande aventura!

Gosto de experimentar coisas novas, sou uma aventureira e gosto de arriscar, mesmo que isso possa trazer dissabores, acho que a vida é para ser vivida. No sábado passado aventurei-me a dormir num hostel, num dormitório misto, com 4 camas (2 beliches) e a experiência foi indescritível. Sabem porquê? Porque foi uma loucura, nada pensado, nada programado, fiz a marcação às 18 horas de sábado, para essa mesma noite. 

Tinha decidido ir passar o dia a Coimbra, mas estava programado ir de manhã e regressar ao fim da tarde. Só que a conversa com os amigos foi-se prolongando e surgi-o a hipótese de ficar pela cidade. Nem pensei duas vezes e pedi à Rita do Minnie Me Blog para ver de um hostel, porque ela era a única que tinha computador. Em poucos minutos ela tinha resolvido o problema, marcou o hostel mais barato da cidade, a €13,5 por noite, sem eu ver fotos ou conhecer o local. E a Beleza Feminina embarcou em mais uma aventura. 


Sem nada para vestir, apenas com uma pequena mala de mão, fui à Primark e comprei o básico para a curta estadia, a preços super top. Blusa a €1,30 e cuecas a €0,5, tudo baratinho para pernoitar naquele hostel que nem sabia onde ficava. 

A noite chegou e lá fomos à descoberta do meu alojamento, junto ao centro da cidade. Foi fácil de encontrar, mas de noite tinha um ar assustador. Imensas escadas e um edifício velho lá no topo, com falta de pintura, com pouca iluminação. Entrei e o rapaz da receção foi simpático, mostrou o hostel e levou-me até ao quarto, uma pequena divisão com dois beliches, uma janela e 4 cacifos. A parte boa? Era a única habitante daquele quarto, pois estamos em época baixa e estava pouca gente no hostel.

Hostel onde fiquei, em Coimbra. 

A experiencia? Não é um hotel, nem uma residencial e está longe de ser uma pensão, mas serve para dormir, apenas isso, para dormir quando precisamos ficar longe de casa. Dormi tranquilamente, com a porta trancada, e nunca fui incomodada. Fiz o check out já passava das 11h e disseram-me para ir à cozinha e preparar algo para comer, que tinha pão de forma, doces, cereais, leite e café. 

O que mais gostei? O ambiente descontraído e informal. Não existe uma hora certa, nem um momento ideal. O check in é às 12h, mas se sair às 13h não há problema, o pequeno-almoço termina às 11h, mas se comer às 11h30 está tudo bem. E isso faz-nos parecer que estamos em casa.

2 comentários:

  1. Adoro coisas que não estão programas geralmente são sempre as mais memoráveis :) Nunca passei a noite num hostel mas é sempre uma experiência nova! Beijinhos

    ResponderEliminar