Uma cirurgia... uma nova vida?

Foi em abril de 2017 que começou esta etapa. Uma etapa cheia de dúvidas e incertezas que se foram dissipando com o tempo e se tornaram numa única certeza: chegara a altura de perder peso! 

Após mais de dois anos de espera por uma consulta de obesidade no Serviço Nacional de Saúde, em abril chegou uma carta a casa e finalmente havia data marcada para a mesma. Passaram 15  dias entre tomar conhecimento da marcação e a consulta com o cirurgião, Dr. Manuel de Carvalho, no Hospital do Patrocínio, em Évora. 

Um médico reservado, de poucas conversas, que fez uma análise corporal e concluiu estarem reunidas as condições para a cirurgia. Mas esta não é um cirurgia qualquer e requer acompanhamento por uma nutricionista e um psicólogo, bem como a realização de diversos exames. 

Passados seis meses desde a primeira consulta com o médico já tive a minha primeira avaliação com a nutricionista e com o psicólogo e os exames já estão todos feitos. Só houve um que realmente me fez pensar em tudo isto pela dor e desconforto que provocou - mas já passou!  

Sobre a cirurgia...

Chama-se bypass gástrico e consiste na criação de uma bolsa estomacal que reduz significativamente o tamanho geral do estômago e a quantidade de alimentos que o estômago pode reter.

Na realização do bypass, o cirurgião cria uma pequena bolsa gástrica (excluindo ~90% do estômago) e realiza a sua ligação com o intestino delgado, cerca de 2 metros mais à frente.

Este procedimento ajuda a perder peso porque:

  1. A pequena bolsa gástrica e a anastomose (ligação artifical entre o estômago e o intestino) limita o volume de comida tolerado pelo estômago, transmitindo uma sensação de saciedade após uma pequena ingestão alimentar (com o tempo, esta bolsa pode dilatar, fazendo com que tolere a ingestão de maiores volumes).
  2. O organismo absorve menos calorias, visto que a comida ultrapassa a maior parte do estômago e do intestino delgado proximal. Esta alteração anatómica, diminui o apetite, diminui a absorção dos alimentos e altera a produção de diversas hormonas.
Agora a parte menos boa de todo este processo é que entre a marcação da cirurgia - o que só aconteceu em outubro - e a cirurgia podem passar mais de dois anos, uma vez que a espera no SNS é enorme. Mas será que estou nesta situação? Não existirá regra sem exceção? é isso que vão descobrir num próximo post sobre o tema! 


12 comentários :

  1. Porque vc não adere à alimentação paleolítica. Em 4 meses perdi 15 kgs, sem fome, sem sacrifícios, comendo tudo saudável. Pesquisa por paletó descomplicado. Tem um grupo no Facebook. Tem gente que não chegou a fazer cirurgia! Vai em frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isabel, obrigada pelo comentário
      Parabéns pela conquista, já aderi ao grupo
      beijinhos

      Eliminar
  2. Adicionei-a no grupo paletó descomplicado. Leia tudo bem e pense nisso.

    ResponderEliminar
  3. Com certeza é o começo de uma nova vida. Se isso é o melhor para a sua saúde, espero que consiga. E nos conte tudo. Estamos torcendo por você :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderEliminar
  4. Não queria falar nada para não a "assustar" mas ao mesmo tempo não consigo deixar de falar...
    Uma familiar minha colocou o bypass gástrico e na altura também apoiei a decisão.
    Acontece que a longo prazo foram surgindo várias complicações, começando por anemias, falta de ferro, etc... Até que um dia a situação tornou-se bem mais grave afectando o fígado e posteriormente a parte renal. No espaço de 1 mês a situação, infelizmente, agravou-se e a minha familiar acabou por falecer.
    Por favor, não pense que estou a contar-lhe isto para a desencorajar ou meter medo! Só quero mesmo alertá-la, pois no caso da minha familiar, antes da cirurgia praticamente não tínhamos ouvido falar em complicações. Mas depois, naquele espaço de 1 mês em que ela esteve internada, os médicos já falaram que afinal o bypass quase sempre dava origem a algumas complicações, umas mais outras menos graves...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário.
      Infelizmente situações dessas podem acontecer e todas as cirurgias têm o seu nível de risco. No bypass não é diferente, pois não é um tratamento estético, mas sim uma cirurgia.

      Eliminar
  5. Conheço uma rapariga que fez essa cirurgia e não demorou muito tempo, são significativas as mudanças dela. Boa sorte com tudo! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Desejo-te toda a sorte do mundo! Espero que corra tudo bem com a tua cirurgia e que não tenhas de esperar mais dois anos. Nunca te esqueças dos teus objetivos e sempre de cabeça erguida!
    Muito obrigada por partilhares a tua história connosco. :)
    Beijinhos
    littlewonderlandxo.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo teu comentário.
      Na vida temos que ter objetivos!
      beijinhos

      Eliminar