Leitura || Poema de Aguardente em Casca de Noz

A leitura do mês de Março com a Chiado Editora foi a obra Poema de Aguardente em Casca de Noz, da autoria de Telmo Fidalgo Barreira. O livro é o primeiro trabalho editorial do jovem brigantino e foi escrito em poesia e prosa poética.  


Os textos aqui apresentados evidenciam a invulgar maturidade estética, artística e literária do autor, unificando uma escrita musculada com a eloquente capacidade de expressão. Visceral, profunda e, acima de tudo, sensível e emocional, esta obra denuncia a mestria deste novo autor.

Um “livro de aguardente” que é uma viagem, um ciclo perfeito, com vários pontos de equilíbrio entre a infância e a mocidade, a vida e a morte, num jogo de metáforas criativas, manifestando uma genialidade intimamente reflexiva e autobiográfica.


Sinopse

Este livro foi escrito com vestígios de imagens líquidas.
Húmus. E Sal. E terra fecunda.
Este livro foi escrito com a difícil matemática dos sentimentos. E a geometria imperfeita das emoções.
Este livro vive na truculência das intempéries. E na anamnese maiúscula dos sonhos.
Este livro tem entranhas. E cheiro fétido. Poema-Ojezira. De Filoctetes e feridas.
Este livro é um poema. Polaroid. De Cor-Gasolina. Inflamado no arco-íris e no preto e branco da vida.
Este livro. É o nosso livro. O nosso poema.
Hoje. A eufonia do tempo. Pintada a lápis de cor.

Capa: mole
Páginas: 80
Preço: €11

1 comentário :

  1. Pela sinopse deve ser muito interessante...
    Adoro ler e faz muito bem, pois alem de tudo transporta.nos para outro mundo...
    Gostei bastante do post kerida.

    ResponderEliminar